Logo Portal O POVO Online

Esportes

  • Ceará
  • Fortaleza
  • Ferroviário
  • Grêmio
  • Internacional
  • Flamengo
  • Vasco
  • Botafogo
  • Fluminense
  • Corinthians
  • São Paulo
  • Santos
  • Palmeiras
  • Cruzeiro
  • Atlético-MG
rss

Minuto L

Especiais

Receba as notícias

RSS

11/01/2017 - 09h22

Ainda preso na Argentina, meia não se reapresentará no Atlético-PR

Luciano Cabral é suspeito de assassinato e segue detido há uma semana

Mesmo com a reapresentação estendida para dia 12, o Atlético-PR não contará com a presença do meia Luciano Cabral. O atleta, preso há sete dias, em Mendoza, na Argentina, é acusado de um assassinato.

Junto com outras cinco pessoas, incluindo seu pai, o meio-campista é apontado por envolvimento na morte de Joan Villegas, 27 anos, a pedradas, no dia 1 de janeiro. De acordo com a imprensa argentina, o advogado do jogador, Gustavo Nedic, busca que ele responda o processo em liberdade, com direito a fiança.

Mesmo que a fiança seja aceita, o atleta não será liberado a tempo de retornar ao Brasil e estar no CT do Caju no dia que o restante do elenco se apresentará. O Atlético-PR não se pronunciou oficialmente sobre o assunto até o momento.

Com os direitos econômicos ligados ao Argentino Juniors-ARG, Cabral está emprestado ao Furacão até a metade deste ano. A vinda da jovem revelação argentina, naturalizada chilena, custou R$ 618 mil. O clube paranaense tinha opção de compra em dezembro de 2016 por R$ 4,5 milhões e não a exerceu. Existe um outro valor em contrato, de R$ 5,2 milhões, para ser feito agora em março, que não deve ocorrer. O atleta fez apenas seis jogos com a camisa atleticana na Série A do ano passado.

Compartilhar
Espaço do Leitor As informações são de responsabilidade do autor:
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro a comentar esta notícia.
0
Comentários Nome Cidade Escreva seu comentário 300
o povo
anônimo
twitter
facebook
modelo3
Erro ao renderizar o portlet: EN_Clubes

Erro: No module named aplication
  • Em Breve

    Ofertas incríveis para você

    Aguarde